Nossa História

O Centro Universitário do Sul de Minas foi criado em novembro de 2001, resultado da fusão de duas instituições de ensino superior, a Faculdade de Engenharia de Varginha (Fenva) e a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Varginha (Fafi), ambas mantidas pela Fundação de Ensino e Pesquisa do Sul de Minas (Fepesmig). A Fepesmig surgiu do ideal de educadores que um dia sonharam transformar Varginha no maior centro educacional do Sul de Minas. A entidade não-governamental sem fins lucrativos foi criada em 1965 como Fundação Universidade do Sul de Minas (Decreto Estadual nº 8.496, de 15/7/1965), denominação alterada em 1974 para Fundação de Ensino e Pesquisa do Sul de Minas (Lei Estadual nº 6.387, de em 17/7/1974). Sua criação se justificava pelo desejo por uma instituição de ensino superior que atendesse aos anseios não só da cidade, mas de toda a região do Sul de Minas. A primeira semente de uma universidade em Varginha foi lançada com o apoio da Mitra Diocesana da Campanha, participante do projeto político-cultural da Igreja Católica, que visava a combater o positivismo, o liberalismo político e dar à laicização do ensino e da cultura um cunho cristão. A princípio, os cursos eram ministrados no Colégio dos Santos Anjos. Em 1972, quando da inauguração de sede própria (bloco I, campus I), a entidade foi transferida para o bairro Vila Pinto, à avenida Coronel José Alves, 256, seu endereço atual.

pedra_fundamental_fepesmig

Arquivo: lançamento da pedra fundamental da sede própria

A história da Fepesmig está intrinsecamente ligada ao crescimento e desenvolvimento do Sul de Minas. Desde os primeiros passos, com a formação de professores através dos cursos de Licenciatura em História, Letras, Matemática e Pedagogia na Fafi e de engenheiros mecânicos e químicos na Fenva, a Fepesmig cumpriu honrosamente a sua missão diante da sociedade.   Em 1979, teve início a Faculdade de Engenharia Mecânica de Varginha (Femva). Posteriormente, com a implantação do curso de Engenharia Química, a denominação foi alterada para Faculdade de Engenharia de Varginha (Fenva), sempre visando ao crescimento cultural do município e da região e ao cumprimento de seu papel de fomentadora do desenvolvimento social e humano de toda a comunidade que a cerca.   Na sua evolução histórica, destacam-se ideais, contradições, conquistas, recuos e sonhos, sentimentos esses que mostram o desejo de ousar e os problemas de organização e de integração entre o pedagógico, o administrativo, o financeiro e o político, sempre presentes no sistema educacional brasileiro.   Entretanto, mantendo a chama de seu ideal, não parou de ousar ante os obstáculos que, a cada momento, surgiam na sua caminhada. E foi por causa de sua fé inabalável na força do trabalho que, nos idos de 1990, um grupo de professores um dia sonhou. Foi nesse momento de desafio profissional e humano que, em 7 de dezembro de 1991, cinco professores e um representante da comunidade, sob a liderança empreendedora do professor Stefano Barra Gazzola, assumiram a administração da Fepesmig, num contexto de esperança nos novos tempos e de crença na possibilidade de concretização de seus ideais, através de ações renovadoras das estruturas acadêmica e administrativa.   Em 1993, em momento de grande turbulência, professor Stefano Barra Gazzola assume a presidência e impulsiona a Fepesmig por um novo modelo de gestão. Em um processo de expansão jamais visto na história de Varginha, foram criados novos cursos, inauguradas novas instalações (bloco II, campus I), executados novos projetos e iniciada a fusão entre Fafi e Fenva.   O primeiro curso foi Licenciatura em Educação Física (1996), abrindo uma nova oportunidade de formação profissional e atendendo uma demanda de toda a região. No mesmo ano, a Instituição criou a FepesmigNet, o primeiro provedor de acesso à internet do Sul de Minas, em uma atitude pioneira, inovadora e ousada. Data deste ano também a inauguração de novas instalações no campus I (bloco III). No ano seguinte, acompanhando a evolução tecnológica, foi criado o curso de Bacharelado em Informática, denominado hoje Ciência da Computação.   No final da década de 90, mais especificamente no ano de 1998, mais um importante passo para a história do Ensino Superior na região foi o início da oferta de cursos de Pós-Graduação, uma necessidade dos profissionais e do mercado de trabalho. Neste ano, o Campus I da Instituição ganhou o seu quarto e último bloco, última construção realizada na unidade.   A implantação do curso de Comunicação Social, com habilitações em Jornalismo e Publicidade e Propaganda, em 1999, foi a última investida da Instituição antes da fusão entre Fafi e Fenva e surgimento do Unis-MG. Assim como os anteriores, a proposta de implantação desse curso veio de fora para dentro e resultou no início da profissionalização do meio na região.   Esta trajetória nos remete a 21 de novembro de 2000, quando, por meio do Decreto Estadual nº 41.371, de 22 de novembro de 2000, as faculdades mantidas pela Fepesmig passaram a constituir o Centro Universitário do Sul de Minas. O novo milênio foi marcado pelo rompimento das fronteiras do município, com a criação de unidades e cursos fora de sede.   O Unis nasceu grande e no primeiro ano já inaugurava o segundo campus. A unidade localizada na rodovia que liga Varginha a Elói Mendes fora adquirida para atender especialmente ao curso de Educação Física, com infra-estrutura para o desenvolvimento de atividades acadêmicas esportivas.   Como centro universitário, a Instituição passara a ter autonomia total para a autorização de novos cursos, processo antes realizado pelo Conselho Estadual de Educação. A mudança representava mais que uma permissão, mas um caminho aberto para agilizar o atendimento às demandas de formação humana e profissional no Sul de Minas.   Os bacharelados em Engenharia de Produção e Nutrição, criados em 2001, foram os primeiros cursos beneficiados pela liberdade de autorização, mas apenas um indício do que a Instituição planejara para o seu futuro. Administração (Comércio Exterior), Biomedicina, Fisioterapia e Serviço Social, quatro novos cursos em apenas um ano (2002), e a implantação das unidades acadêmicas em Três Pontas, primeira fora de sede, com a oferta da Licenciatura em Normal Superior e o Bacharelado em Administração, e Silvianópolis, com o curso Normal Superior, marcaram um dos períodos mais importantes para o crescimento e desenvolvimento do Unis-MG.   Em 2003, a Instituição tornou-se o primeiro centro universitário recredenciado do Brasil (Decreto Estadual nº 42.291, 23 de outubro de 2003), conquistando o período máximo de cinco anos para novo processo de credenciamento. No mesmo ano, foram criados os cursos de Bacharelado em Enfermagem (Varginha), muito requisitado para o déficit de profissionais de nível superior na área de Saúde, e de Licenciatura em Pedagogia fora de sede nas cidades de Cabo Verde e Nova Resende, em atendimento aos anseios de qualificação dos profissionais de Educação dos municípios da região.   Com mais de uma dezena de cursos superiores, o Unis-MG ainda não oferecia uma das formações de maior demanda na sociedade. Em 2004, a Unidade Acadêmica de Três Pontas implantava o Bacharelado em Direito, curso com um dos mais altos graus de exigência de qualidade.   No final do mesmo ano, a família representada pela mantenedora Fepesmig recebia a mantença do Colégio Pio XII – Rede Pitágoras, instituição de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio de Varginha criada em 1956. O Unis-MG ganhara uma parceria para o desenvolvimento de atividades dos cursos de Licenciatura.   Ao final de 2004, a Instituição encerrava-se mais um ciclo, pois a partir de 2005 um novo modelo de gestão estratégica mudaria profundamente a organização pedagógica, administrativa e financeira. O Unis-MG implantara, de forma pioneira na região, o modelo de gestão por unidades estratégicas de negócios.   A Instituição passou a ser composta pela Unidade de Gestão da Educação Presencial (Gedup), que cuidava de todos os cursos existentes, da Unidade de Gestão da Educação a Distância (Gead) e da Unidade de Gestão da Educação Profissional e Relacionamento Empresarial (Ugepre).   O ano de 2005 foi de extrema evolução no Ensino Superior no Sul de Minas. Mais uma vez de forma pioneira e inovadora, o Unis-MG abriu 8 novos cursos em uma modalidade denominada Graduação Tecnológica, uma proposta de qualificação superior de 2 a 3 anos com formação mais específica. Pela Ugepre, foram implantados os cursos de Informática, Segurança e Meio Ambiente, Representação Comercial, Secretariado Executivo Trilíngue, Cafeicultura Empresarial (Três Pontas), Gestão de Micro e Pequenas Empresas, Logística de Transportes e Distribuição e Gestão de Processos Químicos.   Ano após ano, a evolução do Unis-MG era evidenciada em fatos incontestáveis. Em 2006, o Sul de Minas ganhara a sua primeira instituição de ensino credenciada pelo MEC para oferecer cursos de graduação a distância. As licenciaturas em Letras, Matemática e Normal Superior acabaram com qualquer barreira geográfica entre a Instituição e o aluno.   Ainda neste ano, foi criado em Varginha o curso superior de tecnologia em Marketing e alteradas as denominações de Gestão de Micro e Pequenas Empresas para Processos Gerenciais, Secretariado Executivo Trilíngue para Secretariado, Segurança e Meio Ambiente para Gestão Ambiental e Logística de Transportes e Distribuição para Logística. Fora sede, a Instituição implantou novos cursos em Alterosa (Pós-Graduação em Docência no Ensino Superior), Candeias e Guapé, com a Licenciatura em Pedagogia.   Se as barreiras geográficas haviam caído com a modalidade a distância, novamente seriam derrubadas, pelo menos em relação aos cursos presenciais, restritos até então ao Sul de Minas. Em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, foi inaugurada a primeira unidade acadêmica fora da região de origem do Unis-MG. O sucesso da experiência da Instituição com os cursos superiores de tecnologia foi o motivo para o município solicitar a oferta de Gestão da Produção Industrial, Gestão de Recursos Humanos, Processos Gerenciais, Processos Químicos e Logística.   O ano também foi importante na modalidade a distância, com a implantação dos cursos de Ciências Biológicas, Filosofia, Física, Gestão Comercial, Pedagogia e Sistemas de Informação e a criação do Sistema Aberto de Educação (Sabe), uma parceria de cinco renomadas instituições de ensino superior mineiras.   No âmbito da Pós-Graduação, após quase uma década do início das atividades (1998), a oferta de cursos ligados às áreas de conhecimento dos cursos de graduação esteve sempre em evolução, inclusive fora de sede.   As atividades de Pesquisa e Extensão nunca ficaram dissociadas do Ensino. A Instituição sempre desenvolveu cursos, eventos, projetos, programas e produtos de extensão universitária e incentivou as práticas de iniciação científica.   Dentre os fatos e acontecimentos mais relevantes da recente história do Unis-MG, destaque para o reconhecimento pelos órgãos competentes da qualidade dos serviços prestados. Todos os cursos submetidos à avaliação no Exame Nacional de Desempenho do Estudante (Enade/Sinaes – MEC) obtiveram resultados que comprovaram a excelência do ensino.   O Bacharelado em Biomedicina foi classificado como o segundo melhor curso do Brasil (IDD – Enade 2006). A Licenciatura em Educação Física posicionou-se entre os 40 melhores cursos do Brasil (Enade 2005), assim como a Licenciatura em Pedagogia (Enade 2005), que conquistou classificação dentre os 60 melhores avaliados do país. No Sul de Minas, os bacharelados em Ciência da Computação (Enade 2005) e Serviço Social (Enade 2004) tornaram-se referência pelas melhores avaliações. Além de mais conceituado na região (Enade 2006), o curso de Administração (Comércio Exterior – Varginha) conquistou recomendação do Conselho Regional de Administração (CRA). Os cursos de Engenharia Mecânica, Engenharia de Produção, Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Enfermagem, Fisioterapia, Nutrição acima das médias estadual e nacional. Os cursos do Unis-MG são reconhecidos pelo Conselho Estadual de Educação, órgão máximo de Minas Gerais.   Em 2007, foram os reconhecimentos internacionais que engrandeceram a Instituição. O Unis-MG recebeu o Prêmio Qualidade Latino Ibero Americano – Excelência da Educação, pela Associação Brasileira de Qualidade, e o Prêmio Iberoamericano à Excelência Educativa, concedido pelo Conselho Iberoamericano em Honra à Qualidade Educativa. O Prêmio Assis Chateaubriand de Responsabilidade Social, outra honraria de grande importância, foi outorgado ao Unis-MG em reconhecimento a projeto de extensão universitária.   Nos últimos anos, a conexão do universitário ao mercado de trabalho através de uma ampla rede de convênios fez-se de maneira intensa, reforçando o papel do Unis-MG de oportunizar a inserção do estudante no meio profissional desde os primeiros períodos da vida acadêmica. Esse diferencial da Instituição é evidenciado com o alto índice de empregabilidade dos alunos, crescimento e reconhecimento profissional.   Para a inclusão de um número cada vez maior de pessoas no Ensino Superior, principalmente das classes mais necessitadas, uma das contribuições mais importantes para a comunidade na história mais recente é a participação em iniciativas governamentais como os programas de Financiamento do Ensino Superior (Fies) e Universidade para Todos (Prouni).   Esse registro é apenas uma parte da história do Centro Universitário do Sul de Minas, uma instituição de ensino superior que carrega como missão “formar pessoas socialmente responsáveis, em diferentes áreas do conhecimento, contribuindo para o desenvolvimento da região em que atua”.

 

Grupo Unis

Missão

”Formar pessoas socialmente responsáveis, em diferentes áreas do conhecimento, contribuindo para o desenvolvimento das regiões em que atua.”

Visão

"Até 2018, ser uma Instituição de Ensino Superior que, mediante práticas inovadoras e tecnológicas, se destaca no cuidado com sua gente."

Valores Institucionais

Prestabilidade, Excelência e Inovação.

Tweets